quarta-feira, 31 de julho de 2013

FORA DE SÉRIE - PASSAT MALZONI

Mais uma criação de Rino Malzoni, o mesmo que criou o Puma entre outros, este Passat Malzoni era um carro exclusivo. À partir de um Passat, poderia ser um LS ou TS, mais Cr$80.000,00 a Cr$100.000,00 Rino Malzoni fazia as várias adaptações que transformariam o carro.
Os pára-lamas e capô dianteiros foram alongados, fazendo com que as portas fossem deslocadas para trás sem que o comprimento total do carro fosse alterado. Cofre do motor, arco do pára-brisa e o porta malas em fibra de vidro. O compartimento dos passageiros sim diminuiu, tornando o carro um 2+2. A suspensão foi rebaixada de 135,5 cm para 126 cm; pára-brisa e vidro traseiro mais inclinado.
Externamente as alterações foram: faróis e lanternas do Dodge 1800 (Doginho) com a grade original do Passat com o logotipo Malzoni; os mesmo pára-choques porém com borrachões; janelas laterais menores; teto de vinil.
Internamente era revestido com veludo de náilon azul-arinho; bancos reclináveis desenhados especialmente por Rino; bancos traseiros apenas para duas crianças. Mesmo painel de instrumentos do Passat porém com volante imitando madeira e ar condicionado.
Usava a mesma mecânica do Passat, motor 1.471 cm³, 78 cv, assim como as rodas 13 polegadas e tala 4,5 e pneus 175 HR/70 13 radiais, mas poderiam vir com rodas de magnésio tala 6 polegadas.




O Passat LS custava em março de 1978 Cr$ 96.300,00; Passat TS Cr$ 105.700,00; Puma GTB Cr$ 204.400,00; Opala SS 6c Cr$ 145.900; Corcel GT Cr$ 104.800,00

Fonte: Revista 4 Rodas

terça-feira, 30 de julho de 2013

domingo, 28 de julho de 2013

ENCONTRO DE DOMINGO

Hoje pela manhã no pátio da prefeitura de Criciúma-SC estava assim...















quinta-feira, 25 de julho de 2013

BARN FIND

Meu biiiig amigo Irapuã me deu a dica sobre esta concessionária VW, Covipa-Comercial Gaúcha, na cidade de Estrela-RS fechada desde 2002. A história, contada pelo Reginaldo de Campinas  , diz que o dono resolveu fechar a concessionária depois que a VW passou sua cota mensal para 160 veículos, na época a Covipa vendia 60 carros/mês. O dono da concessionária demitiu todos os funcionários e desde então ele vai diariamente até lá como se ainda estivesse trabalhando.
Além dos carros zero km à faturar, que dizem ele não vende, a concessionária tem ainda um grande estoque de peças.

























quarta-feira, 24 de julho de 2013

FORA DE SÉRIE - CORCEL II CONVERSÍVEL SONNERVIG

Além dos pequenos fabricantes de veículos fora de série, algumas concessionárias lançavam seus próprios carros modificados, usavam um veículo de linha e transformavam. A Sonnervig, concessionária Ford de São Paulo transformou o Corcel II em um conversível, o Corcel Sonnervig.
Quando se altera as características de um carro, transformando um cupê em um conversível, a estrutura precisa ser reforçada. O Sonnervig tinha reforço no monobloco através de um túnel central que ligava a parte dianteira do painel à traseira, onde se encontrava com uma travessa. A travessa recebe, nas suas extremidades, duas colunas, logo atras das portas. As colunas são ligadas à parte dianteira por um perfil de chapa , do qual sobem, até o término do pára-brisas, dois tubos embutidos.
Motor e caixa eram os mesmos do Corcel II cupê, fracos com seus 1.372 cc que rendiam 72 cv. Usava as rodas e pneus do Corcel II GT, aro de ferro 13 polegadas tala 5 polegadas; pneus 185/70 SR 13 radiais.
Externamente, a não ser lógico pela capota conversível, ele era idêntico ao Corcel II, apenas os pára-choques traseiros eram envolventes.
No interior um volante de 4 raios, console, que além de estético escondia o túnel que servia como reforço. Bancos reclináveis em courvim com desenho exclusivo, já o pequeno banco traseiro mal podia acomodar duas pessoas.





Em junho de 1976 o Corcel II Conversível Sonnervig custava Cr$ 240.000,00; Corcel II LDO 
Cr$ 117.000,00; Puma GTS Cr$ 163.000,00; MP Lafer Cr$ 163.000,00

Fonte: Revista 4 Rodas

CARROS INESQUECÍVEIS DO BRASIL - 9º FASCÍCULO

O 9º fascículo da coleção Carros Inesquecíveis do Brasil traz a VW Kombi T 2 1976.


segunda-feira, 22 de julho de 2013

II PASSEIO CRONOMETRADO DOS VINHEDOS

Recebi  as fotos do II Passeio Cronometrado dos Vinhedos. Os "rallys" estão se tornando cada vez mais uma opção aos antigomobilistas porque foge um pouco dos encontros de antigos onde os carros ficam "estáticos" .
Abaixo uma pequena descrição do passeio.

"A sede da Vinicola Salton no distrito de Tuiuty, em Bento Gonçalves, reuniu na manhã de sábado, dia 13 de julho , dezenas de pessoas para assistir à saida do II Passeio Cronometrado dos Vinhedos. O evento de regularidade foi prestigiado por 83 carros que percorreram 200 km, em sete horas.  Neste ano, o evento reuniu participantes dos Estados de MG, SP, SC e RS. O carro mais antigo a percorrer o trajeto foi um Ford Speedster 1928 e quatro veículos foram conduzidos por mulheres.
O evento foi organizado pelo Veteran Car Club Bento Goncalves  e o roteiro feito para os participantes conhecerem a cidade de Bento Gonçalves e municípios vizinhos, mostrando os vales e as belíssimas paisagens da região.
O DKW 1951, conduzido por Rogério Franz e Mário Nardi, de Porto Alegre, foi o carro mais regular, seguido do Karmann Ghia TC 1974, dirigido por Roberto Menegotto e José Carniel, em segundo e pelo BMW 320 1980, dirigido por José Ignácio Blanco e Thiago Cavalet, em terceiro, ambos também da Capital Gaúcha (resultados aqui
“Estamos felizes pois mais uma vez recebemos apoio de diversos clubes da região e todos participantes foram fundamentais para o sucesso deste evento. O Veteran Bento agradece a todos participantes , patrocinadores , diretoria e equipes de apoio , com certeza quem ganha e’ o antigomobilismo brasileiro buscando sempre a confraternização dos participantes preservando a historia do carro antigo” comenta o Presidente Leandro Mazzoccato."