sábado, 31 de agosto de 2013

ACESSÓRIOS - TWEETER

Sou do tempo em que Tweeter era essa "cornetinha" aí pra por no som do carro, hoje Twitter é o microblog de 140 caracteres.


sexta-feira, 30 de agosto de 2013

MAVERICK GT 1974 - CANHÃO

Hoje  tive o prazer de ver de perto um verdadeiro "canhão". Um Maverick GT 1974 que, conforme diz o Rafael, dono do carro, depois de incontáveis anos restaurando ficou pronto.
O Maverick é maravilhoso, e foi muito bem restaurado com leves modificações estéticas mas com um motor muito forte.

Externamente o Maverick foi pouco modificado, a cor caiu muito bem no carro e as faixas do GT também ficaram muito boas. Na dianteira a grade foi alterada mas de muito bom gosto.


As lanternas traseiras estilo Mustang Eleanor também ficaram muito boas no carro.



Painel e volante originais mas com um contagiros Auto Meter Sport Comp



Bancos de competição


Mas é no motor que o bicho pega., são 500 hp!




Freios, rodas e pneus especiais.


Parabéns Rafael, o Maverick ficou muito bom!

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

HONDA XL 250 MOTOSPORT 1976 - PLACA PRETA

Quando comprei e restaurei minha Honda XL 250 Motosport 1976, já mostrei aqui , não imagina a moto com placa preta. Porém ao receber algumas fotos de leitores do blog com suas motos ostentando placa preta resolvi ir atrás e ver o que era necessário para a minha XL.
Solicitei a FBVA a planilha para placa preta em moto e fiz os tramites até receber o certificado.
Ai está ela com a placa preta.






quarta-feira, 28 de agosto de 2013

KARMANN GHIA TC (9) - PLACA PRETA

Já mostrei aqui a restauração do meu Karmann Ghia TC 1974. Há alguns dias recebi da FBVA o Certificado de Originalidade concedendo ao TC a placa preta.
Hoje a placa foi colocada.



Muitos me questionam sobre o que devem fazer para ter um carro com placas pretas e eu sempre respondo:
Primeiro associe-se a um clube federado, participe efetivamente deste clube e ai então seu carro vai estar apto a usar a placa preta.
No Veteran Car Club de Criciúma orientamos os associados como devem restaurar e manter seus veículos, aprender sobre ele e sobre antigomobilismo. Conhecer a história e as características do carro irá deixá-lo cada vez mais perto da placa preta .

terça-feira, 27 de agosto de 2013

FORA DE SÉRIE - AVALLONE TURBO 11/2.5 MTC

Evolução do Avallone TF que já valei aqui  o Avallone Turbo 11/2.5 MTC vinha com o motor 151 S do Opala quatro cilindros com tuchos mecânicos e com potência aumentada por um turbo-compressor Garrett que fazia o carro alcançar uma potência de 150 cv. A caixa, diferencial e direção também eram as do Opala, já a suspensão usava componentes do Chevette. Rodas aro 13 polegadas e tala 6 polegadas, pneus 185/70 SR 13.
Como o TF o Avallone Turbo 11/2.5 MTC tinha um acabamento esmerado.


Em março de 1980 o Avallone custava Cr$ 541.737,00; o Opala SS-4 Cr$ 273.601,00; Puma GTS Cr$ 299.191,00; MP Lafer Cr$ 343.800,00; Bianco Tarpan Conversível Cr$ 443.040,00.

Fonte: revista 4 Rodas

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

FOTOMEMÓRIA

Com a proximidade do XVII Encontro de Veículos Antigos de Criciúma em Termas do Gravatal - SC nos dias 13, 14 e 15 de setembro vale relembrar o encontro de 2011.
Informações do XVII encontro clique  aqui


domingo, 25 de agosto de 2013

ACESSÓRIOS - VOLINTER


Este acessório era vendido no início da década de setenta.  Ao contrário das travas tradicionais este deixava o volante "bobo", ou seja girava 360º porém as rodas permaneciam paradas. Bastava girar a chave no centro do mesmo para acioná-lo. Era usado exclusivamente na linha VW.




sábado, 24 de agosto de 2013

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

VENENO - COMO ENVENENAR SEU VW

Na década de 70 as opções de automóveis no mercado se resumiam a uns poucos modelos das montadoras da época que eram a Ford, GM, Chrysler e VW.
Quem não podia ter um Maverick GT V8, um Opala SS 6 cilindros ou um Charger RT V8 mas queria fazer seu VW andar tinha que "envenenar" o motor.
Existem várias maneiras de aumentar a potência de um motor, naquela época consistia em trocar a carburação (injeção nem pensar), virabrequim especial, alteração do comando de válvulas, bomba elétrica, sistema de cárter seco, distribuidor com dois platinados e troca de bobina por uma de maior rendimento.
Sem falar no escapamento especial e num turbo.
Podia-se aumentar a cilindrada de um VW de 1300 para 1500, 1600, 1800, 2000 até 2100 cilindradas e como todas as alterações fazer o carro atingir 150 hp. Transformar um 1300 em 1500 ou 1600 era fácil, trocando-se apenas o kit original de fábrica, daí pra frente é que a coisa pegava.
Num motor mais forte o eixo de comando e as válvulas precisariam ser trocados assim como os coletores de admissão e escapamento. Um retrabalho nos cabeçotes era essencial, fazendo o alargamento e o polimento das câmaras de combustão além de rebaixar o cabeçote, elevando a taxa de compressão de 7:1 para até 9:1 ou mesmo 11:1, mas para que tudo isso funcionasse  era obrigatório o uso de "gasolina azul".
Um distribuidor com avanço centrífugo também era necessário, melhor ainda um distribuidor com dois platinados e bobinas de alta capacidade, neste caso a substituição das velas pelas chamadas "velas frias".
Com todos estes "venenos" o aquecimento é inevitável, tornando necessária a instalação de uma bomba de óleo especial ou até mesmo um radiador de óleo externo. O sistema de cárter seco é aconselhado em casos mais extremos.
Com toda a potência extra deve-se modificar o escalonamento das marchas e a relação da coroa/pinhão, com o volante ligeiramente aliviado. Usar a embreagem da Kombi ajudava, por ser mais resistente.
Para monitorar esse "novo" motor era hora de equipar o painel com indicador de pressão e temperatura do óleo além de um imprescindível conta-giros.
Externamente o uso de rodas e pneus maiores e suspensão rebaixada garantiam uma melhor estabilidade.



Agora vejam quanto custava "envenenar" um VW.

1-dupla carburação Weber 48-48 IDA Cr$ 3.200,00;
2-dupla carburação Solex 30/PIC/1500 Cr$ 525,00;
3-dupla carburação Solex 30/PIC/1600 Cr$ 525,00;
4-kit de injeção direta Hilborn Cr$ 6.500,00;
5-turbocompressor Lacom ;
6-distribuidor Mallory com dois platinados Cr$ 682,00;
7-bobina Mallory 50.000 volts Cr$ 484,00;
8-dupla carburação Solex 40EI/P Cr$ 738,00;
9-dupla carburação Solex 40/PII/4 Cr$ 1.1980,00;
10-dupla carburação Atuel 3-36 Cr$ 1.300,00;
11-bomba de gasolina mecânica VA-21 Cr$ 50,00;
13-polia do virabrequim graduada Jocar Cr$ 130,00;
14-virabrequim roletado SPG Cr$ 4.400,00;
15-polia do virabrequim graduada ESEG Cr$ 80,00;
16-embreagem do tipo "chapéu-chinês" AMORTEX Cr$ 180,00;
17-volante aliviado com furação para virabrequim roletado Cr$ 260,00;
18-comando de válvulas ISKENDERIAN 228, Cr$ 605,00;
19-comandos de válvulas MT-10 e SS-100 Cr$ 150,00 cada;
20-comando de válvulas J-10 Cr$ 300,00;
21-dupla carburação SOLEX 40-EI Cr$ 738,00;
22-dupla carburação WEBER 40-40 IDF Cr$ 2.200,00;
23-filtros de ar SILPO Cr$ 120,00;
24-coroa e pinhão 8:31 Cr$ 223,00;
25-caixa de engrenagens nº3 Cr$ 2.430,00;
26-kit KS de 88 mm de diâmetro Cr$ 1.500,00;
27-virabrequim de 78,4 mm de curso Cr$ 650,00;
28-bomba de óleo CUMMINGS para cárter seco Cr$ 1.055,00;
30-dupla carburação SOLEX 40-EI Cr$ 750,00;
31-par de cabeçotes trabalhados de dupla entrada Cr$ 850,00;
32-coletores SCAT para carburadores WEBER Cr$ 200,00;
33-tampas de comando de válvulas de magnésio aletadas, de Cr$ 100,00 a Cr$ 180,00;
34-silenciador K-500 KADRON Cr$ 225,00;
35-silenciador K-503 KADRON Cr$ 225,00;
36-protetor da correia HOT Cr$ 25,00.

A mão de obra também não era barata.
Cabeçotes trabalhados de Cr$ 300,00 a Cr$400,00 o par. Mão de obra de montagem de um motor com virabrequim roletado de Cr$ 600,00 a Cr$ 800,00. Balanceamento estático e dinâmico do virabrequim Cr$ 150,00. Regulagem do motor com dupla carburação de Cr$ 50,00 a Cr$ 120,00. Preparação de um motor completo(excluindo carburação) do Fusca 1300 a 1900 de Cr$ 3.200,00 a Cr$ 5.000,00 com garantia de 5.000 a 10.000 km. Preparação de um motor completo de TL e Variant até 2.000 cc de Cr$ 2.400,00 a Cr$ 5.000,00 com garantia de 5.000 a 10.000 km. Preparo de motores 1.600 com ventoinha vertical na base de troca (excluindo dupla carburação) de Cr$ 4.000,00 a Cr$ 5.000,00 dependendo do grau de "veneno".

Em outubro de 1972 um Fusca 1.300 custava Cr$ 15.693,00; Fusca 1.500 Cr$ 16.927,00; Karmann Ghia TC Cr$ 25.075,00; SP-2 Cr$ 30.900,00; TL 2 portas Cr$ 21.496,00.

Fonte: Revista 4 Rodas

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

XVII ENCONTRO DE VEÍCULOS ANTIGOS DO VETERAN CAR CLUB DE CRICIÚMA EM TERMAS DO GRAVATAL-SC

Vejam as opções de hotel e os preços para o XVII Encontro de Veículos Antigos do Veteran Car Club de Criciúma em Termas do Gravatal - SC nos dias 13, 14 e 15 de setembro.




segunda-feira, 19 de agosto de 2013

XVII ENCONTRO DE VEÍCULOS ANTIGOS DO VETERAN CAR CLUB DE CRICIÚMA EM TERMAS DO GRAVATAL - SC

Agendem-se, nos dias 13, 14 e 15 de setembro o Veteran Car Club de Criciúma irá realizar o XVII Encontro de Veículos Antigos em  Termas do Gravatal - SC.




Aqui os preços de hoteis 


Gravatal se destaca pelas águas termais, infra-estrutura hoteleira, comércio e pela variedade de atrativos associados ao ecoturismo.
A água termal brota de uma fonte com temperatura de 37º graus, suas propriedades terapêuticas são recomendadas para os que precisam relaxar, estimular a atividade celular e até mesmo desejam rejuvenescer.
Termas do Gravatal é um local maravilhoso para você compartilhar momentos inesquecíveis com sua família e amigos.
Saiba mais sobre Termas de Gravatal acessando o site http://www.termasdogravatal.com.br/index.htm

domingo, 18 de agosto de 2013

EXPOCLASSIC 2013

Este ano infelizmente não pude ir à Expoclassic em Novo Hamburgo-RS. Mas já recebi algumas fotos, para ver a cobertura completa clique  aqui 

Esta é o dos Amigos do Galaxie.



ESPERANDO UM DONO - BUGATTI TYPE 35B GRAN PRIX 1925

Esta preciosidade, uma Bugatti Type 35B Gran Prix, vai a leilão pela Gooding and Company hoje no famoso encontro de Pebble Beach na Califórnia-EUA.
O preço final  poderá chegar à casa dos U$ 3.000.000,00.


sábado, 17 de agosto de 2013

MUSEU JORM - CENTRO CULTURAL E TECNOLÓGICO DO TRANSPORTE


Está sendo montado no Brasil um museu que será referência mundial. Chama-se Museu Jorm - Centro Cultural e Tecnológico do Transporte e tem como curador Paulo "Loco" Figueiredo. O acervo, que conta com mais de 200 carros e 200 motocicletas, ainda não está aberto ao público, mas futuramente irá funcionar em um prédio que será construído no Autódromo de Interlagos-SP.
O nome JORM vem das iniciais de José Oswaldo Ribeiro de Mendonça, um usineiro paulista que deu ao Paulo "Loco" a incumbência de garimpar todas estas raridades para o acervo.
Acesso ao site do museu clique aqui 

A matéria foi exibida no programa Claquete de Otávio Mesquita.

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

KOMBI LAST EDITION - FIM DA PRODUÇÃO NO BRASIL

E a VW anunciou o que já era esperado, o fim da produção da  Kombi.
Fabricada no Brasil de 1957 o utilitário não teria como se adaptar à nova legislação que obriga os veículos produzidos no Brasil a serem equipados de série com air-bag duplo e freios com ABS à partir de 2014.
Com uma série especial chamada de "Last Edition", limitada a 600 unidades com uma plaqueta de identificação numerada a última  Kombi  traz itens exclusivos como pintura em dois tons, carroceria azul , teto, colunas, pára-choques, rodas e calotas brancas, inscrição na lateral "56 anos - Kombi Last Edition" , acabamento interno de luxo, além de outros acessórios.
Os pneus vem com faixas brancas e cortinas nas janelas dando um ar retrô.
A última Kombi irá custar R$ 85.000,00. 
Sem dúvida será uma peça de colecionador.




(Foto:Divulgação)

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

ACESSÓRIOS - AR CONDICIONADO

Na década de 70 ter um carro com ar condicionado era um luxo. Por seu preço elevado poucos tinham o acessório.
Para se ter uma ideia em março de 1974 o Ford LTD/Landau mecânico sem ar condicionado custava Cr$ 63.909,00, já o automático com ar condicionado Cr$ 74.630,00, uma aumento de Cr$ 10.721,00 ou cerca de 17% .
As marcas mais conhecidas  eram Epoca/Springer, Eaton e Semco, e o preço médio era Cr$ 4.800,00. Se levarmos em conta que um VW Sedan 1300, o automóvel nacional mais barato, custava Cr$ 17.515,00 pode-se entender porque poucos carros tinham esse equipamento.
Além do custo do aparelho ainda tinha o custo do combustível, pois com o ar ligado o carro gastava de 5% a 11%  a mais de combustível, dependendo do tamanho do motor e se o uso era na cidade ou estrada.
Aqui estamos falando no início da década de 70 quando a crise do petróleo fez da economia de combustível a bandeira numero um dos consumidores.
O ar condicionado também fazia com que o carro perdesse potência, que não chegava a afetar o desempenho, pelo menos nos grandes. Um Dodge Dart SE com seus 198 hp perdia 8 hp, ainda sobravam 190. Porém este mesmo SE custava Cr$ 35.569,00 e o acessório custava  mais de 13% do valor do carro. Com esta diferença  valia mais à pena comprar um Maverick GT por Cr$ 42.090,00, também sem ar condicionado.
Abaixo os aparelhos e seus preços:



1-Eaton Slin-Line: com 3 janelas para a linha Dodge, Galaxie, Opala, Veraneio e Maverick.Cr$4.500,00
2-Electra: para Maverick e Opala 4 e 6 cilindros. Cr$ 4.750,00;
3-Eaton /Slin-Line: exclusivo para a linha Galaxie Cr$ 4.500,00;
4-Eaton/Slin-Line exclusivo para a linha Dodge Cr$ 4.500,00;
5-Semco: para a linha Dodge, Galaxie, Maverick, Opala e Veraneio Cr$ 4.200,00;
6-Eaton Tamoio: para a linha Dodge, Galaxie, Maverick, Opala e Veraneio Cr$ 5.000,00;
7-Semco: para a linha Dodge, Galaxie e Maverick Cr$ 4.200,00;
8-Electra SL: para a linha Maverick, Dodge e Opala Cr$ 5.100,00;
9-Epoca/Springer: exclusivo para a linha Galaxie Cr$ 4.800,00;
10-Electra S: para a linha Corcel, Chevette e Dodge 1800 Cr$ 4.750,00;
11-Epoca/Springer: exclusivo para a linha Maverick V-8 Cr$ 4.800,00;
12-Electra SS: para a linha Galaxie, Dodge, Maverick, Opala e Veraneio Cr$ 4.850,00.


Fonte: Revista 4 Rodas.

domingo, 11 de agosto de 2013

FELIZ DIA DOS PAIS


ENCONTRO DE DOMINGO

Depois da chuva na sexta e sábado, o domingo amanheceu ensolarado. Aproveitamos para colocar os "velhinhos" no sol no encontro de domingo na prefeitura de Criciúma-SC.







sexta-feira, 9 de agosto de 2013

BARN FIND - COVIPA

A concessionária Covipa de Estrela -RS que está fechada desde 2002, que falei aqui,  foi matéria do Jornal do SBT. No vídeo pode-se ver a concessionária e os carros lá guardados.


ENCONTROU UM NOVO DONO

Meu amigo Ricardo, já falei nele aqui, está faceiro da vida.
Acaba de adquirir este belo Fusca 1500 1971.




Parabéns "Carrão"! A frota está aumentando!!!
Vejam mais fotos no Blog do Carrão 

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

FORA-DE-SÉRIE - MERCADO DE USADOS

Não é de hoje que os carros fora-de-série me atraem. Não sei se porque na minha juventude, com a proibição dos importados, era o que eu via de diferente nas ruas ou porque os carros que as montadoras ofertavam na época deixavam mesmo a desejar. Enfim  sempre gostei deles.
Revendo a revista 4 Rodas de maio de 1985 me deparei com uma matéria sobre o mercado dos fora-de- série usados e logo me reportei aquela época, me imaginando negociando uma Santa Matilde, Puma, MP Lafer..."de barbada".
Até hoje, entre os antigomobilistas, os ditos fora-de-série tem um mercado específico e limitado. Alguns até brincam que os carros de "plástico", pois na grande maioria eram feitos em fibra-de-vidro, não tem muito valor. Definitivamente não é o meu caso.
Mas graças aos carros de "plástico" é que temos ainda uma parte da história automobilística nacional preservada, a ferrugem não os alcança.

Mas vamos à materia da edição nº 298 de maio de 1985:









Pesquisando foras-de-série à venda o que ser pode constatar é que eles, assim como todo carro antigo, variam de preço conforme estado de conservação e raridade.
Encontra-se Miúra desde R$ 3.000,00 até R$ 30.000,00; Puma GTE de R$ 5.000,00 a R$ 55.000,00;
Puma GTB e Santa Matilde de  R$ 21.000,00 a R$ 60.000,00.
Mas se compararmos com um Charger RT ou um Maverick GT, os esportivos nacionais preferidos dos antigomobilistas, estes valores podem passar dos R$ 100.000,00.
Mas como qualquer artigo de coleção estas peças só tem valor para os que as apreciam. 
Quem não é "do ramo" certamente vai nos chamar de loucos.