sexta-feira, 26 de junho de 2015

PLACA TRETA

É isso mesmo, Placa Treta! Não me enganei não!
Já falei várias vezes que sou um purista. Gosto de ver os veículos antigos como eram quando foram fabricados e me preocupo em aprender pra não errar.
Ontem mesmo um leitor do blog me questionou sobre os "bigodes" do SP1 apresentado no comparativo VW SP1 X SP2, veja aqui, onde eu dizia que o SP1 vinha sem os frisos no painel dianteiro. Disse isso na época, porque depois o Roberto, dono do SP1, pesquisou e reparou o erro e eu corrigi no Post. O SP1 vinha sim de fábrica com os "bigodes". Gosto das coisas assim, corretas.
O que me deixa furioso é o tal "jeitinho brasileiro", onde o malandro quer levar vantagem. Compra uma placa preta em um clube mal-intencionado ou um despachante qualquer e mete no seu carro rebaixado, com motor injetado, insulfilm, rodas modernas e o escambau e sai faceiro com sua "placa treta"!
Tem também a regra do veículo importado, que diz que todo veículo com mais de 30 anos quando chega ao Brasil  recebe a placa preta, independente de estar ou não de acordo com a planilha da FBVA, restaurado ou por restaurar. Cabe porém ao colecionador que adquiriu este importado que tenha bom senso e restaure o carro nos padrões exigidos para depois "desfilar" ou apresenta-lo em encontros e exposições.
Sem falar nos veículos mal conservados ou mal restaurados.
Sou presidente de clube pertencente à FBVA, participei de várias reuniões, com o presidente Roberto Suga inclusive, e sei das dificuldades em coibir tal pratica. O que precisamos é conscientizar o antigomobilista sério a denunciar essas irregularidades, acabar de vez com o jeitinho e boicotar este comércio irregular.
Abaixo a íntegra da Resolução 56 que criou as regras da Placa Preta.

 RESOLUÇÃO Nº 56, DE 21 DE MAIO DE 1998

Disciplina a identificação e emplacamento dos veículos de coleção, conforme dispõe o art. 97 do Código de Trânsito Brasileiro.

O CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO – CONTRAN, usando da competência que lhe confere o art. 12, inciso I, da Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997, que instituiu o Código de Trânsito Brasileiro – CTB, e conforme o Decreto nº 2.327, de 23 de setembro de 1997, que dispõe sobre a coordenação do Sistema Nacional de Trânsito, resolve:

Art. 1º São considerados veículos de coleção aqueles que atenderem, cumulativamente, aos seguintes requisitos:

I - ter sido fabricado há mais de vinte anos;

II - conservar suas características originais de fabricação;

III - integrar uma coleção;

IV - apresentar Certificado de Originalidade, reconhecido pelo Departamento Nacional de Trânsito - DENATRAN.

§ 1º O Certificado de Originalidade de que trata o inciso IV deste artigo atestará as condições estabelecidas nos seus inciso I a III e será expedido por entidade credenciada e reconhecida pelo DENATRAN de acordo com o modelo Anexo, sendo o documento necessário para o registro.

§ 2º A entidade de que trata o parágrafo anterior será pessoa jurídica, sem fins lucrativos, e instituída para a promoção da conservação de automóveis antigos e para a divulgação dessa atividade cultural, de comprovada atuação nesse setor, respondendo pela legitimidade do Certificado que expedir.

§ 3º O Certificado de Originalidade, expedido conforme modelo constante do Anexo desta Resolução, é documento necessário para o registro de veículo de coleção no órgão de trânsito.

Art. 2º O disposto nos artigos 104 e 105 do Código de Trânsito Brasileiro não se aplica aos veículos de coleção.

Art. 3º Os veículos de coleção serão identificados por placas dianteira e traseira, neles afixadas, de acordo com os procedimentos técnicos e operacionais estabelecidos pela Resolução 45/98 - CONTRAN.

Art. 4º As cores das placas de que trata o artigo anterior serão em fundo preto e caracteres cinza.

Art. 5º Fica revogada a Resolução 771/93 do CONTRAN.

Art. 6º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação.

RENAN CALHEIROS
Ministério da Justiça

ELISEU PADILHA
Ministério dos Transportes

LINDOLPHO DE CARVALHO DIAS - Suplente
Ministério da Ciência e Tecnologia

ZENILDO GONZAGA ZOROASTRO DE LUCENA
Ministério do Exército

LUCIANO OLIVA PATRÍCIO - Suplente
Ministério da Educação e do Desporto

GUSTAVO KRAUSE
Ministério do Meio Ambiente, Recursos Hídricos e da Amazônia Legal

BARJAS NEGRI - Suplente
Ministério da Saúde


Basta acessar os sites de vendas que se encontra essas aberrações às pencas.
Aqui alguns exemplos de placas irregulares e o texto no anúncio de venda:

 " Placa preta com certificado de originalidade e categoria 'Coleção' no documento."



 "Suspensão de dupla catraca (feita no Katraka, a melhor oficina do assunto em SP). Carro bem macio de andar. Suspensão legalizada no DOC."

"Carro placa preta Ford F100 1966 motor cadastrado todo reformado freio a disco direção hidraulica mais de 7mil em som"





"Chevrolet El Camino 1978 / motor 350 V8 / Automático veiculo com placa preta iniciais ELC alta qualidade de som / DVD , kit duas vias , modulo e caixa selada frio a discodireção hidraulica mais de 7mil em som"




"Caravan Carb.446.Difer.Dana, Escap.6X2, Rodas do 92 c/ pneus Cobra Novo, Carro de Garagem, já com placa preta, toda revisada"




E aqui um exemplo de que não é só manter os ítens de originalidade, o estado geral do carro é péssimo. Ferrugens, amassados e interior deplorável.

Opala 75 Luxo Placa Preta R$ 13.000,00




Se você é um colecionador ajude a moralizar, se está pensando em adquirir o primeiro antigo pesquise e peça opinião à quem entende. Não compre carro com "PLACA TRETA". Denuncie!

5 comentários:

  1. Ótimo post Mazinho. Verdadeira prostituição da placa preta!!

    ResponderExcluir
  2. Treta é o absurdo que o Sr. está promovendo aqui! Além de utilizar imagem dos veículos sem a autorização de direitos dos seus proprietários para continuar difamando e deturpando a lei que é única e para todos! A mamata acabou e Clubes não serão mais cartéis para favorecimento de poucos! Sugiro que o amigo estude a lei à risca antes de vir falar em público mais asneiras!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiro leia a íntegra da Resolução 56, especificamente no inciso II "CONSERVAR SUAS CARACTERÍSTICAS ORIGINAIS DE FABRICAÇÃO", depois venha me falar de Lei.

      Excluir
    2. Muito fácil falar que tem um "placa Preta", pagar por um certificado via internet, e ter um veículo todo alterado.... Agora quero ver gastar uma fortuna para colocar tudo que é peça possível original no carro, selo da fábrica, gastar R$ 1.000,00 em uma peça original que no paralelo custa R$ 35,00, se filiar em um clube federado pela FBVA, ser atuante nas reuniões, entrar com pedido de PLACA PRETA, e depois de todo esse trabalho e custo, ver as barbaridades iguais estas mostradas aqui, ver e não ficar indignado. CARRO ANTIGO DE FATO, NÃO É SÓ UMA POUPANÇA, É A PRESERVAÇÃO DA HISTÓRIA FORA DOS LIVROS!!!!!

      Excluir
  3. Primeiro que comentários de anônimos são pessoas que se escondem e sabem que podem receber retaliações e até processos, por isso não devem ser levados em conta, só querem tumultuar porque deve ser um dos infratores. Segundo que no Brasil tentam impor a cultura do leva vantagem, mesmo que para isso, infringindo a lei, que é bem clara e objetiva. Mas aos poucos essas pessoas serão cada vez mais mal vistas e seus veículos ao vez de chamar atenção para o lado positivo, vai "aparecer" como mais um bandido. A lei é feita para poucos sim, mas não para quem não tem dinheiro e sim para pessoas honestas e corretas, afinal esses exemplos que o Mazinho citou, com exceção do último o Opala, todos custaram mais caro que os carros originais. Modificar um carro, colocar acessórios chamativos no visual, hoje custa mais caro que restaurar um veículo original. Um jogo de roda e pneus aro 17 custa mais que 5 mil reais. Com esse valor compro jogo de rodas e pneus originais para um Fusca e um Opala e ainda sobra troco. Então, modificar um carro antigo original, não é coisa para pobre, porque tem que restaurar o veículo, seja na originalidade ou na modificação e ainda tem que colocar os acessórios. Portanto, cultuador do leva vantagem, VAI PROCURAR SUA TURMA OU SEJA HOMEM E SE IDENTIFIQUE, ENCARRE OS OUTROS DE FRENTE. E mais, a "mamata" dos clubes credenciados não vai acabar, o que vai acabar são as pessoas que distorcem a lei, como um tal clubinho do Brasil, que põe placa preta até em poste de iluminação, tem plaqueta para tirar o decalque? Tá com placa treta!!!

    ResponderExcluir