quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

GOL GT 1.8 1986 - TESTE

Lembro do Gol GT 1.8 preto do meu amigo Caio, no qual  fizemos uma viagem ao Rio de Janeiro para ver o Grande Prêmio do Brasil de  Formula 1 no extinto circuito de Jacarépagua em março de 1986.


A edição numero 306 de janeiro de 1986 da Revista Quatro Rodas traz o teste de um dos mais desejados esportivos da década de 80, o VW Gol GT 1.8. Agora usando o mesmo motor do Santana, de bielas longas, que fazia o GT  gastar 10,6s para chegar aos 100 km/h e alcançar a velocidade máxima de 167 km/h com sues 99 cv.


O novo motor VW trazia uma série de inovações como bloco com câmaras de circulação do liquido de arrefecimento otimizadas,  pistões confeccionados em liga leve, anéis de espessura reduzida e uma nova câmara de combustão, com o cabeçote inteiramente reprojetado.
Novo coletor de admissão, um carburador de duplo estágio e caixa de 5 velocidades,  tudo isso num motor exclusivamente à alcool. O motor à gasolina não era mais produzido para o GT.



Externamente os faróis auxiliares, as rodas de liga com pneus radiasi 185/60 14, os borrachões laterais,  um pequeno filete vermelho emoldurando a dianteira, pequeno spoiler sob o para-choques dianteiro e grafismo GT nas laterais e tampa traseira davam o ar agressivo ao carro.
Internamente o volante de quatro raios, grafismo dos mostradores em vermelho e os esportivos bancos Recaro faziam a diferença.



O VW Gol GT 1.8 1986 custava 13,2 milhões de Cruzeiros e o Ford Escort XR-3 15,3 milhões

Fonte: Revista Quatro Rodas

Um comentário:

  1. Época em que as fábricas de automóveis sabiam fazer carros.

    ResponderExcluir