terça-feira, 16 de julho de 2013

FORD CORCEL GT -EVOLUÇÃO

Há algum tempo postei aqui o Ford Corcel II GT 1978 do meu amigo Bozetto. Este post é um dos mais visitados aqui no Autos Clássicos, pois como o carro é muito original serve de padrão para colecionadores do modelo.
Um verdadeiro GT - Gran Tursimo, deve ter um motor forte para obter grandes velocidades em estradas, suspensão elaborada, ótimos freios além de um acabamento requintado. O que não é o caso do Corcel GT.
Mas a história do Corcel GT vem bem antes.
O primeiro Ford Corcel, sedã 4 portas,  foi lançado em 1968. Conhecido inicialmente como projeto M da então Ford-Willys  desenvolvido juntamente com a do Renault Francesa, que lá se chamou Renault 12. Com motor derivado do Renault 8 porém com 1268 cc, 68 HP, cinco mancais, com válvulas no cabeçote mas com comando no bloco acionado por corrente , e uma novidade para época no Brasil: radiador selado e tração dianteira.
Seu preço, em janeiro de 1969 era NCr$ 13.261,00; Galaxie NCr$ 27.432,00; VW1600(Zé do Caixão) NCr$ 14.500.00.

Os dois carros tinham suas diferenças na carroceria, mas ainda assim eram muito parecidos.



Com o lançamento do cupê 2 portas em meados de 1969...


o primeiro Corcel GT não demora a chegar ao mercado.
Externamente a faixa que inciava na grade se estendia sobre o capô harmonizando com o teto de vinil e as faixas laterais, além dos faróis de milha sobre o pára-choque.
No interior bancos reclináveis, painel com marcador de temperatura da água, alternador e indicador do nível de combustível e o mesmo volante usado no Itamaraty. 
O motor de 1268 cc  recebeu válvulas de diâmetro maior, coletores de admissão e escape redesenhados e carburador Solex 35 DIDS 2 de corpo duplo. Com isso o carro passou a render 80 HP que o fazia chegar aos 140 km/h.
Em setembro de 1969 o Corcel GT custava NCr$ 18.624,00; Corcel Luxo 2 portas NCr$ 15.955,00; Karmann Ghia NCr$ 16.319,00; Puma NCr$ 21.250,00 e o Opala Luxo 4 cilindros NCr$ 18.707,00.


Lançado em meados de 1970 o modelo 1971 teve algumas modificações estéticas.
Nova grade em preto fosco com simbolo GT ao centro, faróis de milha e capô também em preto fosco com tomada de ar. Na lateral uma faixa a meia altura terminando logo depois da porta com uma peça cromada imitando uma saída de ar.
Internamente não mudou, assim como o "fraco" motor que continuou o mesmo.
Seu preço em novembro de 1970 Cr$20.349,00 (agora em cruzeiros); Corcel Luxo 2 portas Cr$ 18.171,00; Karmann Ghia Cr$17.971,00; Puma Cr$ 28.325,00 e Opala Luxo 4 Cilindros Cr$ 22.176,00



Em novembro de 1970, no Salão do Automóvel, um carro conceito foi apresentado, era o Ford Corcel Cobra. Com a mesma mecânica do GT o Cobra tinha nova grade plástica em preto fosco com o emblema GT no centro imitando o Mustang. Rodas de magnésio de 7 polegadas, faróis de iodo, faixas laterais de três cores, marca Cobra nas colunas laterais, persianas em fibra de vidro no vidro traseiro e um pequeno aerofólio em preto fosco sobre o capô traseiro que terminava como um "rabo de pato". No interior bancos em couvin de duas cores, painel completo e volante esportivo.
O Ford Corcel Cobra nunca foi colocado em produção.


O Modelo 1972, agora chamado de Ford Corcel GTXP, teve modificações no motor. A cilindrada foi aumentada de 1289 cc para 1372 cc, com a ampliação do diâmetro dos cilindros que aumentou a potência do carro em 5 HP. Externamente poucas modificações: novas rodas esportivas em aço estampado (não usa mais as calotas), espelho retrovisor  em preto fosco,  luzes de ré sob o para choque traseiro, ponteira do escapamento cromada de maior diâmetro, faixas duplas na lateral e o símbolo XP na lateral do pára lamas dianteiro.
Internamente ganhou um novo sistema de ventilação, agora conta com um pequeno retângulo no centro do painel, acima do rádio, em que duas alavancas acionam o ventilador de três velocidades e a outra direciona o fluxo de ar. O volante passa a ser o mesmo utilizado no Galaxie, assim com o mecanismo e alavanca do pisca. Novo sistema de trava das portas, trancava apertando para baixo as novas maçanetas. Console central com quatro instrumentos inclinados na direção do motorista. Os dois de cima são de temperatura do motor e pressão do óleo e os de baixo nível da gasolina e carga da bateria. O Corcel GTXP não vinha mais com bancos reclináveis, nem mesmo como opcional.
Em dezembro de 1971 o preço do Corcel GTXP era Cr$ 23.510,00; Corcel Luxo 2 portas Cr$ 21.198,00; Opala SS 6 cilindros Cr$ 32.050,00; Charger RT Cr$ 45.210,00; Puma GTE Cr$ 30.024,00.


Em 1973 houveram grandes mudanças estéticas em toda a linha Corcel. A frente foi toda redesenhada com novos pára-lamas e capô . No Corcel GT estas diferenças são visíveis na nova grade retangular com contorno cromado que serve de moldura para uma tela preta hexagonal com o emblema ao centro. Dois faróis de iodo auxiliares quadrados ficam embutidos na grade e a moldura, agora quadrada, dos faróis normais é pintada em preto fosco. Sobre o capô duas faixas largas em preto fosco, nas laterais uma faixa preta que começa larga e na vertical onde se aplicam as inciais GT e percorre toda a lateral do carro. 
Abaixo dos pára choques uma entrada de ar abriga em suas extremidades os piscas, abaixo das portas frisos cromados delimitam a pintura do carro de faixas pretas. A traseira, como em toda a linha Corcel, ganhou novas sinaleiras com luzes de ré incorporadas, frisos cromados emoldurando toda a traseira que tem o centro em preto fosco, inclusive tampa do combustível.
Internamente a única diferença do modelo anterior é o volante esportivo Valroad.
Na mecânica nenhuma modificação além de uma barra compensadora traseira que evita com que a carroceria se incline muito, já o motor é o mesmo do modelo anterior.
Em janeiro de 1973 um Corcel GT custava Cr$ 27.116,00; Corcel Luxo 2 portas Cr$ 23.370,00; Dodge Dart SE Cr$ 31.500,00; VW SP 2 Cr$ 32.658,00 e Puma GTE Cr$ 33.000,00.



Somente para os modelos 1975 houveram algumas modificações. Sobre o capô, que ficou um pouco mais inclinado em direção à grade agora de plastico e com desenhos retangulares, uma única faixa em preto fosco e nas laterais as duas faixas mais finas percorrem toda a lateral . Neste modelo foi incorporado o retrovisor externo carenado também em preto fosco e o logotipo GT  agora vem em forma de emblema na coluna traseira. Internamente além do console com os marcadores de temperatura, manômetro de óleo, indicador do nível de gasolina e amperímetro agora o painel tem, no lado esquerdo o velocímetro e à direita o conta-giros.
Em outubro de 1974 o Ford Corcel GT custava Cr$ 39.816,00; Maverick GT Cr$ 56.640,00; Opala SS-4 Cr$ 41.971,00; Passat LS Cr$ 35.060,00; Karmann Ghia TC Cr$ 35.114,00



Em 1978 a Ford reformula totalmente a linha Corcel. Uma nova carroceria, novo interior e aperfeiçoamentos mecânicos.



O esportivo então passa a chamar-se Corcel II GT,  tinha o capô e teto pintados em preto com uma faixa vermelha ,  pára choques pretos com a faixa central da cor da carroceria e na traseira o logotipo do carro . O carburador de corpo duplo deu ao carro 76 HP, 4 HP a mais que os demais modelos, e fazia o carro alcançar 148 km/h, mas esta era a única diferença do GT para o Corcel normal.
Válvulas de admissão e escapamento no cabeçote, freios à disco na dianteira,  rodas  de aço estampado 13 polegadas, tala 5 polegadas com sobre aros, pneus radiais 185/70 SR 13.
Internamente a Ford também economizou e as únicas diferenças em relação a versão normal é que o GT tinha volante esportivo, conta-giros entre o velocímetro à esquerda, indicador do nível de combustível e luzes espia do sistema de freio e alternador à direita. Manômetro de óleo e termômetro de água foram colocados no console. Os bancos somente na cor preta.
Em fevereiro de 1978 o Corcel II GT custava Cr$ 104.794,00; Corcel II LDO Cr$ 108.371,00; Maverick GT Cr$ 119.092,00; Opala SS-4 Cr$ 116.193,00; Passat TS Cr$ 105.662,00; Puma GTE Cr$ 143.942,00.





Em 1979 o Corcel II GT veio com várias inovações: motor 1.600 cm³, câmbio de cinco marchas, suspensão mais baixa e rígida e relação de diferencial mais curta.
O motor do Corcel II GT 1.6, com ignição eletrônica,  recebeu um novo cabeçote, virabrequim com novos mancais, retentores de óleo que protegem da poeira e contrapesos duplos em cada cilindro, novos metais para as bronzinas, virabrequim e astes de válvulas. Coletores duplos de escapamento, nova bomba de óleo e válvulas giradoras. Carburador de corpo duplo progressivo e coletor de admissão em alumínio. Relação mais longa para a 1ª  marcha, diferencial alongado e embreagem eletromagnética dotada de um novo disco de  190 mm num câmbio de 5 marchas.
A suspensão foi recalibrada com o aumento da pressão das molas, colocada uma barra estabilizadora na traseira, amortecedores mais duros e suspensão rebaixada em 13 mm com a retirada dos calços das molas. 
Rodas de aço estampadas aro 13 polegadas, pneus radiais 185/70 SR 13 com as letras pintadas em branco e sobre-aros em aço escovado.
A pintura também teve alterações:  agora os frisos inferiores das janelas e a parte inferior da carroceria, da metade das rodas para baixo, são pretos. Essa pintura era opcional, poderia vir todo de uma só cor.
Pára choques, maçanetas, frisos de janelas e escapamento em preto. De cromado apenas o friso de contorno da grade dianteira e o logotipo Corcel II GT na tampa traseira.
O GT , assim como toda a linha, ganhou um spoiler dianteiro e faróis de milha sob o pára choques.
Internamente poucas mudanças: continua com o volante esportivo forrado em couro, console com medidor de pressão do óleo e temperatura do motor, além do conta-giros no centro do painel.
Como opcionais poderia vir com desembaçador elétrico, esguicho de água elétrico, temporizador, aquecedor, bancos revestidos de vinil, rádio AM/FM estéreo com toca-fitas e auxiliar de freio a vácuo.
Em junho de 1979 o Corcel II GT custava Cr$ 171.625,00; Corcel II LDO Cr$ 177.843,00; Maverick GT Cr$ 174.425,00; Passat TS Cr$ 174.336,00; Puma GTE Cr$ 226.372,00.


Para 1980 poucas alterações, visto que no ano anterior elas foram muitas: pneus radias Goodyear  com cintas de aço, faixa lateral vermelha que acompanha que acompanha a lateral demarcando  a pintura preta na parte inferior da carroceria e novos pára choques com ponteiras plásticas . Toda a linha Corcel II recebeu defletor no eixo traseiro para reduzir o arrasto aerodinâmico.
Internamente o console recebeu o voltímetro, onde antes era o termômetro de água que foi deslocado para o painel, e o manômetro de óleo permaneceu no console. Todos os instrumentos receberam novo grafismo. O espelho retrovisor recebeu controle remoto, troca de facho de farol na coluna de direção e cinto de três pontos. O volante continua o mesmo, porém poderia vir com o de 4 raios opcionalmente.
Em junho de 1980 o Corcel II GT custava Cr$ 309.824,00; Corcel II LDO Cr$ 317.176,00; Dodge Charger RT Cr$ 485.318,00; Passat TS Cr$ 314.138,00; Puma GTB S2 Cr$ 868.625,00; Opala SS-6 Cr$ 408.256,00.


Sem modificações substanciais o Corcel II GT foi fabricado até meados de 1982 quando teve sua produção interrompida.

4 comentários:

  1. Bela matéria, bem cronologicamenta, gosto muito da linha ford gt ainda vou ter um abç.

    ResponderExcluir
  2. Corcel 1 gt 1974 .Meu pai afonso tinha um e era um otimo carro.Gostoso de dirigir,macio ,bom de arrancada,painel bonito com console,contudo bom para o dia a dia,so faltava a 5 marcha.

    ResponderExcluir
  3. Se hoje em dia já é difícil encontrar um Corcel II normal rodando nas ruas, imagina esse.

    ResponderExcluir