terça-feira, 22 de março de 2011

BATIDA DE PINO E A PRÉ-IGNIÇÃO

Na edição nº 167 de junho de 1974 a revista 4 Rodas trata de um assunto que ainda hoje atormenta nossos "velhinhos".
A popularmente conhecida "Batida de Pino" e a Pré-Ignição.
Transcrevo na íntegra o que dizia a matéria.
  " A "batida de pino" ou detonação é aquele ruído metálico que se ouve com o carro em movimento principalmente quando está engrenada a marcha menos reduzida. Isto é, em uma subida ou quando , mesmo no plano, a aceleração é muito rápida. Já  a pré-ignição é a continuação do funcionamento do motor depois de desligada a chave de ignição.
 A detonação basicamente é a queima de certa quantidade da mistura combustível-ar, antes que essa mistura seja alcançada pela frente de combustão provocada pela centelha da vela de ignição.
 A pré-ignição é a explosão da mistura sem que a centelha tenha se soltado da vela.
 Nos motores de ignição por faísca  (motores convencionais a gasolina), a combustão é iniciada pela centelha despendida entre os eletrodos da vela. Essa centelha começa a inflamar a mistura de gasolina ar, formando um pequeno núcleo de chama que vai crescendo até completar a combustão. O crescimento deste núcleo de chama depende da energia da centelha, da temperatura e densidade da mistura junto ao próprio núcleo. Por isso cria-se turbulência dentro da câmara, tornando mais fácil a transferência de calor dos gases queimados para os não queimados. A turbulência provoca também a formação de outros pequenos núcleos de chama o que facilita a irradiação de calor para a região de gases não queimados acelerando o processo de combustão.
 À medida que a combustão se processa, aumentam dentro da câmara a pressão e a temperatura. Com isso a parte não queimada da mistura pode chagar à auto-ignição. Isto é, essa parte queima sozinha, sem que a frente de combustão a tenha alcançado. Então há um rápido aumento de pressão em regiões bem determinadas. Nesse momento, as pressões tendem a se equilibrar e, como a diferença de pressão é grande, a tendência para o equilíbrio produz ondas de choque que batem contra as paredes da câmara, provocando as "batidas de pino". Os contínuos choques aos poucos danificam as paredes da câmara e o topo dos pistões, podendo até provocar furos. Essa erosão resulta em pontos quentes  que irão facilitar a pré-ignição. Além disso, a detonação provoca uma turbulência excessiva na câmara, naquele momento, diminuindo a película de gases nas paredes, o que aumenta a perda térmica. A pré-ignição pode ser mais prejudicial ao motor do que a detonação, porque é uma combustão completamente descontrolada que pode até quebrar o virabrequim por causa dos esforços desequilibrados que gera nele.

Como diminuir a detonação

 Há fatores que contribuem para que haja detonação. Por exemplo, quanto mais alta for a temperatura do liquido de resfriamento do motor (água mais óleo solúvel), maior será a temperatura na câmara de combustão. Isto é, quando o motor está muito quente, a detonação é facilitada. É por isso que nos carros refrigerados a ar, que trabalham normalmente a temperaturas mais elevadas, a detonação ocorre com mais frequência. Portanto uma das formas de evitar a detonação é não forçar muito o motor, para que a temperatura possa baixar. Quanto menor a altitude, maior será a pressão e o aumento da pressão de admissão, contribuindo para que ocorra "batida de pino". Se o carro tiver de rodar durante muito tempo em região de baixa altitude será conveniente fazer uma nova regulagem na distribuição: retardar um pouco o avanço, para que a faísca encontre a mistura em condições ideais para a combustão.
 O formato da câmara também pode influir na detonação. Se o formato favorecer a turbulência, a batida será menor. O uso de gasolina de melhor qualidade, de maior índice de octanos, também é recomendável, já que quanto maior aquele índice maior seu poder antidetonante. Outro fator que atenua a detonação é a velocidade média do pistão: a redução da marcha, em uma subida, permite que o motor consiga subir de rotação, aumentando a velocidade média do pistão e diminuindo a detonação.

15 comentários:

  1. José Carlos E. Ferreiraterça-feira, 22 março, 2011

    Conferir se a vela é a correta para o motor, também é importante!
    Vela inadequada (mais quente), pode ser um causador de pré-ignição!

    Me corrijam os universitários, se eu estiver errado!

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. A vela é importante Zé mas a nossa gasolina, se é que podemos chamar de gasolina, faz muita diferança. Os motores foram concebidos para trabalhar com uma taxa de compressão compatível com a gasolina da época. Hoje é mais alcool que gasolina.

    ResponderExcluir
  3. O álccol tem maior poder antidetonante que a gasolina, por isso exige maiores taxas de compressão. Como o poder calorífico é cerca de 25% menor, exige maiores volumes para gerar a mesma energia. Daí a relação de 70-30% para compensar o consumo de nossa gasolina atual com 22% de álcool, e consequentemente os preços. Os motores mais antigos tinham menores taxas de compressão, adaptados para trabalhar com nossa gasolina pura e de baixa octanagem evitando a pré ignição e seus problemas. Veículos importados com maiores taxas de compressão necessitavam uma gasolina de pouco maior número de octanas-ron e recomendavam a antiga gasolina azul e com aditivos de poder antidetonante como o chumbo, depois proibido por ser prejudicial á saúde.

    ResponderExcluir
  4. Muito bem "professor"! Explicação perfeita!
    Graaaaande abraço!

    ResponderExcluir
  5. entao para acabar com as batidas de pino eu faco o que uso
    podium liquido de asfriamento ou troco oleo ou retifico motor?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Clio, estamos falando aqui de veículos produzidos na década de 70, carburados. Na época existiam dois tipos de gasolina, a comum e a azul (com maior octanagem). Se seu carro é desta época procure verificar se as velas são adequada e se o ponto de ignição está regulado. Nos meus carros antigos não uso Pódium, uso somente gasolina comum. O liquido de arrefecimento é constituído por água e aditivos. Esses aditivos tem por finalidade equilibrar o pH da água, não deixando-a nem alcalina e nem ácida. O etilenoglicol é o principal componente do aditivo. Esse elemento altera os pontos de ebulição e congelamento da água, fazendo com que a mesma ferva acima de 100oC e congele somente abaixo de 0oC. Outra função do aditivo é a de manter lubrificado todo o sistema e evitar o acúmulo de sujeira no sistema. Já o óleo lubrificante deve ser trocado conforme especificação, em carros antigos que rodam pouco devem ser trocados a cada 6 meses. Retificar o motor somente em caso de alto consumo de óleo lubrificante; excesso de fumaça sendo expelida pelo escapamento; baixa potência; alto consumo de combustível; motor trabalhando superaquecido; fortes barulhos vindo do motor.
      Se seu carro for "moderno" ai já entra a parte eletrônica. Consulte um mecânico especialista.

      Graaaaaaaaande abraço!

      Excluir
  6. Amigos.

    Tive um problema com meu carro e de repente vocês pode me ajudar... Sei que fazer diagnóstico a distância é complicado, portanto tentarei se o mais destalhista possível, contando desde como ocorreu o problema e suas características.

    Eu tenho um Monza SL/E 89/90 automatico, gasolina, 2.0. Há alguns dias ele vinha apresentando uma certa dificuldade em dar a partida (geralmente a primeira partida do dia, fosse de manhã, a tarde ou a noite), mesmo com o afogador puxado (era como se a gasolina não estivesse sendo "injetada" adequadamente). Então, no sábado, eu fui ao mercado e parei o carro numa subida. Ao sair, dei a partida, ela pegou facilmente, coloquei a alvanca em Drive e arranquei, acelerando a cerca de 2500/3000 RPMs. O carro deu a arrancada, andou uns 15/20 metros e perdeu força repentinamente, além de fazer um barulho muito forte de batida, mas nao uma batida com som metalizado, mas uma batida seca, uma sensação de pancada mesmo... Logo após esse barulho o carro morreu. Dei a partida novamente, o carro demorou a pegar, e sempre com o ruido da batida seca. Aí o carro pegava e era tirar o pé do acelerador que ele morria...

    Pois então, com essas informações é possível deduzir o que aconteceu com meu carro?

    Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fabio, podem ser várias coisas. Mas vc já verificou a bomba de gasolina, velas, ponto de ignição do distribuidor? O ideal é vc levar o carro a um mecânico de confiança pra ele fazer o diagnóstico.
      Graaaaaande abraço!

      Excluir
    2. Me acontceu isso uma vez no meu chevette,eu tinha adiantado de mais o ponto,aqueceu e queimou a junta do cabeçote,perdeu força,falhava e batia,mandei o cabeçote pra plainar,troquei a junta e fico bom novamente.

      Excluir
  7. Me tira uma duvida, o que pode ocasionar um consumo de combustível excessivo por que eu sai agora a pouco com o meu fusca 1300 ano 76 e coloquei uma garrafa pet com meio litro de gasolina e dei uma volta na quadra e chequei zerado só com gasolina no carburador e o motor faz + ou - 1 ano que o motor foi feito não queima óleo nem nada só esse consumo louco de combustível o que pode ser se poder me ajudar agradeço obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mião, o motor 1300 do VW é conhecido por ser econômico, portanto alguma coisa deve estar errada. O correto é fazer uma limpeza no carburador verificando a boia, giglê, venturi, agulha estão na especificação correta. Veja também o estado das velas. Depois de tudo limpo e revisado faça a regulagem conforme especificação. Graaaaaande abraço!

      Excluir
    2. Obrigado pela ajuda o problema eras os giclês que estavam com numeração tão grande que nem o 1600 usa mas valeu pela ajuda obrigado.

      Excluir
    3. Bom que pude ajudar.Graaaaaaaande abraço!

      Excluir
  8. Fala galera...tenho uma uno mille eletronic...e percebi q as vezes, em retomadas da umas batidas metelicas, tiro o pé do acelerador e piso denovo não faz mais o barulho, se for batida de pino se fizer uma descarbonizacao e trocarco oleo resolve? Será q pode ser outra coisa, fixo, comando....falam que fixo faz com motor frio tbm q não é o meu caso..agradeço pela atenção e até mais...

    ResponderExcluir
  9. Fala galera...tenho uma uno mille eletronic...e percebi q as vezes, em retomadas da umas batidas metelicas, tiro o pé do acelerador e piso denovo não faz mais o barulho, se for batida de pino se fizer uma descarbonizacao e trocarco oleo resolve? Será q pode ser outra coisa, fixo, comando....falam que fixo faz com motor frio tbm q não é o meu caso..agradeço pela atenção e até mais...

    ResponderExcluir